Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, Baixada Santista, Centro, Homem



Histórico


    Categorias
    Todas as mensagens
     CONTOS
     COTIDIANO
     CRÔNICAS
     POESIAS
     RELACIONAMENTOS


    Votação
     Dê uma nota para meu blog


     
    Karaminholas

    POESIAS



     
     

    JULGAMENTO

    Hoje, no início do inverno sem fim, enxergo em mim o que não fui
    o que poderia ter sido
    e inspiro profundamente o azedo ar da vida.

    Não posso mais carregar comigo o peso do não ter sido
    a dor da derrota angustiante
    o grito do dragão do desejo reprimido.

    Hoje, no início do inverno sem fim, enxergo em mim o que não fuio que poderia ter sidoe inspiro profundamente o azedo ar da vida (Google)Julgamento
    Julgamento

    Em silêncio, reflito em mim a decadente tarde do meu dia
    não sou mais que uma sombra
    o homem julgado pelo crime de não ter sido.

    Antonio Medeiro



    Escrito por Antonio Medeiro às 07h51
    [] [envie esta mensagem] [ ]



     
     

    FALO

    Quando faço amor
    como falo!

    A língua do falo (Google)
    Falo

    Mas ela só ouve
    a língua do falo.
    no talo.

    Antonio Medeiro



    Escrito por Antonio Medeiro às 01h58
    [] [envie esta mensagem] [ ]



     
     

    MEMÓRIA

    No frio da madrugada, o corpo treme.
    O amor, gelo no coração.
    E ela treme, treme, treme...

    30 anos de vida se esparrama pelo chão (Google)
    Memória

    A memória ácida queima as ilusões.
    O brilho do aço...
    30 anos de vida se esparrama pelo chão.

    Antonio Medeiro



    Escrito por Antonio Medeiro às 06h16
    [] [envie esta mensagem] [ ]



     
     

    MENSAGEM

    No lenço sujo de batom
    a mensagem em bom-tom:

    A mensagem em bom-tom (Google)
    Mensagem

    Amor
    foi-se o bem-bom.

    Acabou.

    Antonio Medeiro



    Escrito por Antonio Medeiro às 07h45
    [] [envie esta mensagem] [ ]



     
     

    AMOR 496

    Não dou a mínima ao amor
    às suas insolentes intromissões
    no meu coração endividado.

    Amor insolente (Google)
    Amor

    Imune estou às suas artimanhas
    à sua humana semelhança
    com um mercador de almas.

    Antonio Medeiro



    Escrito por Antonio Medeiro às 05h37
    [] [envie esta mensagem] [ ]



     
     

    POEMINHA

    Num fechar de olhos
    te perdi.
    Num fechar de olhos te perdi (Google)
    Poeminha

    Sonhei com você
    quando abri os olhos
    você não estava aqui.

    Antonio Medeiro



    Escrito por Antonio Medeiro às 07h28
    [] [envie esta mensagem] [ ]



     
     

    DORES

    Na pele ferida pelo tempo
    pulsa a dor dos desiludidos.

    Doendo comigo mesmo
    desfaço-me em eternidades.

    A dor é apenas um detalhe nos meus eternos pedaços (Google)
    Dores

    A dor é apenas um detalhe
    nos meus eternos pedaços.

    Sou apenas um nó de dores
    aos olhos dos meus olhos.

    Antonio Medeiro



    Escrito por Antonio Medeiro às 06h51
    [] [envie esta mensagem] [ ]




    [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]